terça-feira, junho 30, 2009

quinta-feira, junho 25, 2009

Nota mental

Se, numas eleições democráticas, os candidatos são eleitos através da percentagem dos votos válidos, e não através do número de votos que obtêm...

...talvez aqueles apelos ao voto em branco e abstenção como forma de protesto não sejam propriamente um grande protesto.

É que, pasme-se!, ainda que você se abstenha, o total de votos ainda será 100%. O que quer dizer que o(s) político(s) é/são gajo(s) para não estar(em) minimamente preocupado(s) com o seu (literalmente) irrelevante protesto.

O que é que acha que um político prefere: 29% do votos, mas uma enorme participação eleitoral, com apenas 25% de abstenção ...ou 30% do votos, mas com uns "vergonhosos" 65% de abstenção ("vergonhosos", note-se, não para o político, que esse foi votar)?

Hmmm... Escolha difícil para ele, aposto que nem dormiria, para tentar chegar a uma resposta...

- * -

"Eles são todos iguais".

São. Por isso é que na Assembleia da República há sempre unanimidade em tudo. E que uns apoiam o aborto e outros não. E uns são o Paulo Portas e outros não.

Já agora, você nunca lá pôs o Garcia Pereira, como é que sabe que ele é igual?

Talvez se, para si, "notícias" não fosse "aquela televisão do Cristiano Ronaldo à hora do comer", o Narana Coissoró não lhe parecesse igual ao António Costa.
Isso e se você não fosse um estuporado de um racista, para quem "eles" são todos iguais!


- * -

Mas o seu protesto tem ainda mais suminho para se espremer. Ora, tem à escolha:
a) não votar em ninguém;
b) votar de modo a aumentar o peso político do político/partido com cujas posições mais vezes concorda ou diminuir o peso político dos políticos/partidos de quem mais discorda.


Comparando as duas acções que pode tomar:
Cenário b): votando, aumenta o peso político do político/partido com que mais concorda e diminui o peso político dos políticos/partidos de quem mais discorda.
Cenário a): não votando, faz com que o político/partido que você ainda vai suportando fique pior do que ficaria se você votasse e os políticos/partidos que você abomina ficarem melhor do que ficariam se você votasse.

Ou seja, o conteúdo do seu fantástico "protesto" é basicamente dar mais poder aos políticos/partidos que mais o repugnam.

Ou seja, na prática, você não ir votar é quase o mesmo que ir votar em exactamente todos os candidatos que não sejam o seu preferido. Sim, assim: se estão 18 candidatos a eleições, você vai lá 17 vezes, e cada vez vota num (incluindo o Paulo Portas), até ter votado em todos menos naquele que você acha que é o melhor. Temos que convir que, para protesto anti-voto, ir votar 17 vezes numas únicas eleições é uma táctica revolucionária, que sem dúvida, deixa qualquer político sem reacção. Uma táctica, portando, que pretende vencer o inimigo confundindo-o totalmente, através de uma poderosa idiotice desconcertante. Próximo passo: desconcertar as selecções adversárias, colocando o Cristiano Ronaldo e o Deco a atacar a nossa baliza.

Que posso eu dizer?, você é um sacana de um génio!

quarta-feira, junho 24, 2009

Ai ninguém escreve nesta merda deste blog?...

ENTÃO SÓ POR CAUSA DISSO AQUI FICA UM VIDEO DOS CARPENTERS!




quinta-feira, junho 18, 2009

Há quem acene

terça-feira, junho 16, 2009

The Revolution Will Be Twittered

Aqui.


(com o hashtag #iranelection estavam a cair cerca de 500 tweets por minuto quando postei isto)


Um trocadilho qualquer entre a palavra "Irão" e o verbo "ir"



Por respeito aos acontecimentos no Irão e ao site que mais tem servido para que saiba o que lá se tem passado, decidi substituir a imagem do cabeçalho do blog.

Espero agora que o Mario e o Pac-Man não se metam em merdas revolucionárias porque aviso já que tão depressa não mudo isto.

domingo, junho 14, 2009

Quase lá...



The Barracudas - "Summer Fun"

quarta-feira, junho 03, 2009

Pode acontecer