segunda-feira, setembro 11, 2006

Mestre Isplinter Responde - Edição Especial 11 de Setembro

Para assinalar essa importante data que é o 11 de Setembro, Mestre Isplinter vai responder a questões de nossos leitores alusivas à quadra.

- O 11 de Setembro foi em 2001. Isso quer dizer que em todos os outros anos, ao dia 10 de Setembro se seguiu o dia 12?

- Sim. Aliás, Mestre Isplinter recorda perfeitamente que ao acordar a 11 de Setembro (de 2001, caso ainda não tenha percebido que só houve um 11 de Setembro!) percebeu que havia ali algo de errado, merda: "Há aqui algo de errado, merda!". Imediatamente, Mestre Isplinter se perguntou o que haveria de errado ali: "Mestre Isplinter, o que há de errado aqui?". Então, e mais rapidamente do que a mente humana poderia dar conta, Mestre Isplinter percebeu que era 11 de Setembro, e não 12: "Então é isso."

O mais incrível é que foi precisamente nesse dia que aviões foram lançados contra o World Trade Center e Pentágono! Que coincidência incrível! Como dizem os ingleses: "What are the odds?" [N. do T. (M. I.): em português, "quais são as chances?"]. Aparece um dia novo do nada e é logo nesse dia que se dá o acontecimento mais importante dos últimos anos (tirando, é claro, o próprio aparecimento de um dia 11 de Setembro entre o 10 e o 12)!

Agora, Mestre Isplinter pede ao leitor que pare e pense melhor neste extraordinário evento de desregulação do espaço-tempo. Considere, se for corajoso o bastante, quais as implicações deste acontecimento. E quem o terá arquitectado? E com que meios? E porquê? E porque interromperam certas fábricas a produção de calendários poucos dias antes?

E a pergunta cuja resposta esclarece todas as anteriores: Mas então porque é que parece que hoje é 11 de Setembro, e o próprio blog indica este post como sendo de 11 de Setembro?

Saberá Mestre Isplinter a resposta a essa questão fulcral? É óbvio que sabe, Mestre Isplinter tirou o seu Mestrado Isplinter com distinção num estabelecimento sério! Claro que o leitor poderia ter perguntado isso a Mestre Isplinter, em vez de gastar a resposta a que tinha direito com uma pergunta insignificante e óbvia. Agora vai ter de esperar o próximo "Especial 11 de Setembro", para o ano. Idiota...

Outro leitor enviou a Mestre Isplinter uma carta bem mais interessante. Nela se lia:

- Mas então porque é que parece que hoje é 11 de Setembro, e o próprio blog indica este post como sendo de 11 de Setembro?

- Infelizmente, caro leitor, o seu sentido de orientação temporal é equivalente ao excremento de certos ruminantes. Isto porque você enviou essa carta a Mestre Isplinter ontem. Ora: ontem, "hoje" era ontem, não hoje. Hoje é dia 12, por isso, ao enviar sua missiva a Mestre Isplinter no dia 10, devia ter perguntado "porque é que parece que amanhã é 11 de Setembro?".

No entanto, a segunda parte da sua pergunta está correcta: o blog indica este post como sendo de 11 de Setembro. Por isso Mestre Isplinter deve-lhe uma resposta:

Como foi visto na resposta à primeira parte da pergunta que você realmente deveria ter feito, era impossível ao blogger ter dado a volta à situação e corrigido o problema. Ademais, como se pode depreender de minha (não) explicação, não haveria no mundo borracha suficiente sequer para um terço de toda essa complicação! Só se ele não estivesse em Saturno, mas logo lá em Manaus, e a barra tivesse estado sempre lá (ahahahah, percebeu a piada?).

Adiante. Outro leitor faz uma abordagem diferente do mesmo problema:

- O meu amigo (amigo mesmo, não nesse sentido, só digo "o" porque é o meu único amigo) diz que o 11 de Setembro é um importante feriado religioso em determinadas culturas. Se isso é verdade, porque é que eu nunca vi ninguém a festejar?

- De facto, não é por acaso que o 11 de Setembro é conhecido como o Natal dos Terroristas! É mesmo o mais importante feriado dos Terroristas, é o Natal deles!

Pense, é compreensível: há uma figura de barbas que se notabiliza pelo seu uso de objectos voadores de maneiras diferentes daquelas para que foram construídos, e a quem toda a gente associa a época festiva, em vez de ao verdadeiro cérebro de toda a situação. Como você vê, é bastante óbvio. De acrescentar que nas montanhas do Afeganistão, de onde é originário o milenar Povo dos Terroristas (do latim terror istum, "pessoa que usa objectos explosivos que ainda não foram inventados no tempo de Roma, embora os chineses já conheçam a pólvora"), não há nada, por isso eles oferecem pequenos cócós de aves em vez de presentes, como oferenda de grande simbolismo.

A pessoa que lhe disse isso estava, pois, certa - já agora, pela última vez, ele não é seu amigo. Resta saber então, com o Terrorismo tão difundido, como você nunca viu ninguém a festejar. A resposta é simples: não podem festejar esse feriado porque nunca é 11 de Setembro! Só houve 11 de Setembro em 2001! E os Terroristas, obviamente, sabem bem disso - ou você acha que eles estavam lá em Manaus? (Ahahah, as piadas de Mestre Isplinter são mesmo demais).

Para terminar, uma última questão de um leitor mais interessado no método científico:

- Só para terminar, não há nenhuma possibilidade científica de existir mesmo um dia entre 10 e 12 de Setembro em anos que não 2001? (já agora, diga a esse idiota acima que, pela última vez, eu não sou amigo dele)

- Há, de facto, uma ousada teoria científica que aventa essa hipótese sem se tornar numa bosta completa, porque não tenta fazer com que haja um 11 de Setembro entre 10 e 12. Tudo é extremamente denso e complexo para que Mestre Isplinter faça discorrer todo o caudal teórico dessa hipótese no pouco espaço de que dispõe, mas, só para você ter uma ideia, o ponto de partida é bastante simples: entre 10 e 12 de Setembro pode existir um onze de Setembro, por extenso.

A ideia é bastante interessante, mas como pode depreender, os seus efeitos práticos são extremamente diminutos (nem dá sequer para Mestre Isplinter fazer uma piada que envolva estar lá em Manaus).

Sem comentários:

Publicar um comentário