quinta-feira, abril 16, 2009

Dura Lex era um óptimo nome para um verniz para automóveis


Daqui a bocadinho a Pirate Bay vai ser condenada por cumplicidade na prático do crime de distribuição de material sob protecção de direitos de autor. É estranho poder ser-se condenado como cúmplice de um crime que ninguém prova ter existido. E mais estranho é a acusação (patrocinada por associações das indústrias de música e filmes) poder escolher perseguir apenas alguns dos praticantes do crime. E é ultra-estranho ter escolhido acusar os cúmplices e não os autores do crime. O processo é uma espécie de guerrilha entre supostos cúmplices: os supostos cúmplices dos autores-artistas perseguem os supostos cúmplices dos autores-do-crime. O autores, de um lado e de outro, ficam descansadinhos em casa a ver a bola (a lei dos direitos de autor protege realmente os autores. Todos!) O processo é claramente político e é muito triste ver um MP prestar-se a estas macacadas para agradar a alguns industriais. Mas enfim, é a justiça que temos (na Suécia).

Infelizmente, o mundo não vai mudar daqui a bocadinho por causa da condenação. A indústria do entertenimento vai continuar a não perceber que a net mudou o mundo, que poder distribuir produtos quase de borla é uma coisa óptima para qualquer negócio, que as pessoas gastam sempre a mesma parcela do seu rendimento pela música e filmes que usufruem, com ou sem torrents. (E, o pior de tudo, vai continuar sem perceber o que é música boa e o que são filmes bons.)

Sem stress. A Pirate Bay não vai ficar offline daqui a bocadinho. Se este processo teve algum efeito foi o de publicitar mais e mais a Pirate Bay e aumentar o tráfego de torrents. As pessoas vão sacar a mesma (ou mais) quantidade de música e fimes que sacavam antes do julgamento. Vão continuar a ver exactamente a mesma quantidade de filmes que viam antes do julgamento. E vão ouvir a mesma quantidade de música. E vão continuar a aparecer novos filmes e novas bandas (que vão tornar ricos e famosos os seus autores). E para quem gosta de música e filmes, isso é que interessa: que apareçam bandas e filmes que valham a pena. Felizmente, o mundo não vai mudar daqui a bocadinho.

Sem comentários:

Publicar um comentário